SEA DEMOLE CASA EM ÁREA PROTEGIDA EM PIRATININGA

A casa estava sendo erguida em faixa marginal de proteção (FMP) do canal do Camboatá, que liga as lagoas de Piratininga e Itaipu.

Ascom SEA

Uma casa em construção foi demolida hoje (02/08) em Camboinhas, na Região Oceânica de Niterói, pela Coordenadoria de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca; Órgão da Secretaria de Estado do Ambiente). A casa estava sendo erguida em faixa marginal de proteção (FMP) do canal do Camboatá, que liga as lagoas de Piratininga e Itaipu. A operação teve apoio do Batalhão Florestal e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).
A residência estava sendo erguida em área não edificante às margens do Canal do Camboatá, que faz parte do complexo lagunar de Piratininga, que será palco, a partir de setembro, de obras de dragagem e recuperação ambiental da SEA e do Inea. Moradores da região elogiaram a operação da Cicca, já que existiam fundações de outra casa a ser erguida no local.
O proprietário da residência em construção, Enivaldo Souto Medeiros, havia recebido, em março de 2011, notificação do Inea por causa da ilegalidade da obra, determinando sua demolição. Como o proprietário não cumpriu a determinação, a Cicca acabou promovendo hoje a demolição do imóvel em construção. Além disso, Enivaldo foi multado em R$ 34 mil por crime ambiental.
Segundo o coordenador da Cicca, José Maurício Padrone, a SEA entrará com uma ação civil pública contra Enivaldo, obrigando-o a arcar com os custos da demolição. O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, elogiou a operação, afirmando que as ações de combate aos crimes ambientais vão continuar na região.
“Estamos empenhados em combater os degradadores do meio ambiente. Se a casa em construção não fosse derrubada, outras acabariam se espalhando pelas faixas de proteção do complexo lagunar”, disse Minc.
No local, os agentes policiais encontraram material para consumo crack, como cachimbos. Assim, além do risco da área de proteção ambiental ser loteada aos poucos, caso a primeira casa em construção não fosse derrubada, moradores vizinhos temiam que se formasse ali um ponto para consumo de drogas.
Caminhões e retroescavadeira foram usados na demolição. Foi apreendido também o cavalo de Enivaldo, que estava impedindo a regeneração da vegetação local, ao pastar no local. O cavalo foi apreendido e levado para um curral legalizado em Itambi, distrito de Itaboraí.

Foto Luiz Morier

Anúncios