SEA inaugura rádio comunitária no Complexo do Alemão

Carlos Minc destaca programação voltada para discutir ações locais e temas ecológicos, como reciclagem de lixo

Ascom SEA

por Flor Jacq

 

Foi com o slogan Você Pode Agir e se Agir Pode Mudar que as Mulheres da Paz, do Complexo do Alemão, deram a largada oficial, nesta sexta-feira (10/08), aos trabalhos da Rádio Mulher: Um Ambiente Comunitário. No ar há cerca de oito meses, a frequência 98,7 FM saiu da fase de teste, podendo agora ser ouvida por aproximadamente 20 mil moradores da região, em um raio de 4 km.

 

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, participou da cerimônia de inauguração promovida, no Casarão Cultural, em Inhaúma, na antiga Estrada Velha da Pavuna, Zona Norte do Rio, pela Superintendência de Educação Ambiental da Secretaria de Estado do Ambiente (Seam/SEA), em parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e a Secretaria de Ação Social e Direitos Humanos (SASDH).

“Esse projeto é realmente especial, pois reúne áreas que trabalho há muito anos, desde o meu mandato como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj): meio ambiente, direitos da mulher e rádio comunitária. O fato da sede da rádio ser em um casarão cultural é outro marco, pois não adianta só criar leis, só se muda uma realidade por meio da cultura”, afirmou Minc.

 

Segundo a superintendente de Educação da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), Lara Moutinho da Costa, a Rádio Mulher: Um Ambiente Comunitário faz parte do programa Nas Ondas do Ambiente, que une educação ambiental à comunicação social.

 

“Nos utilizamos das tecnologias da informação e comunicação (TICs) para incentivar um olhar crítico sobre o ambiente e os meios de comunicação, além de promover a democratização da produção e difusão de informação. As rádios comunitárias são o canal de expressão, a voz da comunidade”, disse Lara.

Moradora do Complexo do Alemão e locutora do programa Sábadão Comunitário, Anatália dos Santos, de 49 anos, disse que a rádio tem abordado temas ligados à saúde, direitos da mulher, além de descobrir novos talentos e divulgar campanhas de interesse público e eventos organizados por grupos culturais da comunidade.

 

“A equipe da SEA nos capacitou, ensinando técnicas radiofônicas, mas quem define a pauta somos nós, as mulheres. Temos programas de aconselhamento, falamos das festas de bairro. No ano passado, fizemos um programa piloto sobre a campanha contra a dengue. Em 2012, divulgamos a gratuidade no teleférico para os moradores do complexo”, disse.

O secretário Carlos Minc destacou que a Rádio Mulher: Um Ambiente Comunitário compõe um pacote de ações da SEA voltadas para a região: “Ações isoladas não funcionam. A rádio vai dialogar com a Fábrica Verde, que recicla computadores inutilizados, gerando emprego e rende na comunidade, e com o nosso projeto de moda de tecidos recicláveis. Nossas meninas superpoderosas também se comprometeram com a divulgação do programa de reaproveitamento de óleo vegetal e de reciclagem de pilhas e baterias”.

Foto Luiz Morier

Anúncios