SEA lança Projeto Espaço Sagrado na curva do S

O objetivo do programa é regulamentar um espaço para a prática de rituais de religiões afro-brasileiras

Ascom SEA

por Sandra Hoffmann

Regulamentar um espaço para a prática de rituais religiosos, com a preservação da natureza, é o objetivo do Projeto Espaço Sagrado da Curva do S lançado hoje (03/08), pela Secretaria do Estado do Ambiente (SEA), em cerimônia no Parque Lage, na Zona Sul do Rio.
A Floresta da Tijuca, no Parque Nacional da Tijuca, será o primeiro local a receber um espaço com essa finalidade, a ser instalado na Curva do S, no Alto da Boa Vista, próximo à entrada do parque.
O Espaço Sagrado será formado por infraestrutura com guarita e cancela, totens de sinalização, coletores de resíduos religiosos e uma central de tratamento de resíduos religiosos, com composteira, aterro e área de separação dos materiais para reciclagem.
Haverá ainda um viveiro para a produção de mudas, batizado de Jardim das Folhas Sagradas, que receberá mudas de espécies de Mata Atlântica doadas por terreiros religiosos, e que serão utilizadas, no futuro, por praticantes em seus rituais.
Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, que participou da cerimônia de lançamento, o projeto destina-se a atender tanto a preservação da natureza quanto a práticas culturais associadas aos rituais de religiões afro-brasileiras.
“Vamos criar o primeiro espaço sagrado do Brasil, instituído pelo Poder Público onde teremos orientação aos visitantes, oficinas educativas, focando em práticas religiosas sustentáveis com o uso de elementos que não agridam a natureza”, disse Minc, acrescentando que o projeto será estendido, em 2013, para parques da Baixada Fluminense e da Zona Oeste do Rio.
O secretário do Ambiente disse ainda que o Projeto Espaço Sagrado da Curva do S faz parte de uma das vertentes do trabalho da Secretaria de Estado do Ambiente destinado à conservação dos parques, aliado à segurança e à preservação da Mata Atlântica.
“Além desta, as outras vertentes são os mosaicos florestais, que irão abranger várias unidades de conservação municipais e estaduais e a instalação das Unidades de Policiamento Ambiental (UPAMs) em cinco parques estaduais: da Tiririca, Pedra Branca, Ilha Grande, Três Picos e Desengano”, ressaltou Minc.
A Superintendente de Educação Ambiental da SEA, Lara Moutinho, disse que o projeto é voltado especialmente para o enfrentamento da intolerância religiosa e da degradação ambiental associada ao uso religioso da natureza.
“Será o primeiro espaço sagrado do Brasil instituído pelo Poder Público. Com o lançamento do projeto, faremos uma oficina técnica para a construção de diretrizes e normas de uso público religioso de áreas protegidas. Em seguida, faremos outra oficina para a construção do plano de gestão participativa da área, com participação de representantes das esferas governamentais e das religiões que irão utilizar esse espaço”, afirmou Lara.
Durante a solenidade, foi instalado o Comitê de Gestão Compartilhada do Parque Nacional da Tijuca, com representantes do Governo Federal, da Prefeitura do Rio e da Secretaria de Estado do Ambiente.
O Projeto Espaço Sagrado da Curva do S é resultado de parceria entre a SEA, Parque Nacional da Tijuca e Prefeitura do Rio, no âmbito da gestão compartilhada do parque.

Foto Luiz Morier

Anúncios