Secretário do Ambiente fala de iniciativas socioambientais da Petrobras

Minc participou de cerimônia de lançamento de seleção pública para projetos que contarão com R$ 247 milhões da companhia

 

Ascom SEA

por Sandra Hoffmann

 

Minc foi um dos convidados da cerimônia de lançamento das inscrições para os programas, na sede da Petrobras, no Centro do Rio. Com a realização dos dois programas, companhia destinará, ao longo de dois anos, R$ 102 milhões e R$ 145 milhões, respectivamente, para projetos sociais e ambientais; a serem escolhidos por edital público. As inscrições terminam em 18 de novembro.

 

Participaram da cerimônia, entre outros, a secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Salete Valesan Camba, e o diretor corporativo e de serviços da Petrobras, José Eduardo Dutra, e o gerente-executivo de Responsabilidade Social da Petrobras, Armando Tripodi.

 

Minc ressaltou que, no processo de licenciamento do Comperj, foi exigido “o cumprimento de uma série de condicionantes socioambientais, como, por exemplo, obras de saneamento nos municípios de Itaboraí e Maricá e o plantio de sete milhões de mudas de espécies da Mata Atlântica. A estatal também terá de investir na ampliação do abastecimento de água para a população do entorno do Comperj, a partir da construção de barragem no Rio Guapiaçu”.

 

Minc disse ainda que a parceria com a Petrobras foi fundamental para viabilizar o programa de recuperação ambiental do Canal do Fundão, da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA). O programa, que está em vias de finalização, foi financiado pela companhia.

 

“O programa, que abrangeu a dragagem do canal, a construção da Ponte do Saber e o plantio de mangues, permitiu ainda a revitalização de estaleiros do entorno da Ilha do Fundão e do Caju, com destaque para o Inhaúma (ex-Ishibrás), que estava desativado há mais de dez anos. Ao ser ativado, permitiu a geração de 3.500 postos de trabalho”, destacou.

 

Minc afirmou que a SEA também desenvolve programas de cunho social, como o da Fábrica Verde, que transforma lixo eletrônico em inclusão digital. Já existem duas fábricas verdes, uma no Complexo do Alemão e outra na Rocinha. Em breve, será instalada outra fábrica verde, no Salgueiro, na Tijuca.

 

“Por esse programa, jovens de comunidades pacificadas recebem capacitação em manutenção e montagem de computadores. A cada três máquinas doadas por moradores e empresas públicas e privadas, os alunos montam um computador, que é instalado em telecentros comunitários”, explicou.

Emissário submarino do Comperj

Minc também falou sobre a licença prévia (LP) concedida à Petrobras, em julho deste ano, para a instalação dos emissários terrestre e submarino do Comperj no Município de Maricá. Para construí-lo, a Petrobras terá de cumprir cerca de 50 condicionantes estabelecidas na licença, dentre elas, ampliar de 2 km para 4 km o emissário submarino, para o despejo de seus efluentes em alto mar, e adotar padrões de tratamento mais rigorosos do que os estabelecidos pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

 

A Petrobras terá ainda que investir R$ 160 milhões no saneamento da maior parte dos municípios de Maricá e de Itaboraí. Parte do emissário terrestre passará por Itaboraí, município-sede do Comperj.

 

Do montante a ser investido pela empresa na região, R$ 60 milhões serão destinados ao saneamento de Maricá, que já conta com recursos de R$ 30 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal, para obras de esgotamento sanitário. Os R$ 100 milhões restantes da Petrobras serão investidos no saneamento de Itaboraí.

 

 

Petrobras Ambiental e Petrobras Desenvolvimento & Cidadania

 

O Programa Petrobras Ambiental patrocina atualmente cerca de 100 projetos, tendo alcançado dezenas de bacias e ecossistemas em seis biomas brasileiros: Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado, Pantanal e Pampa, além de ambientes marinhos e costeiros. Suas ações já envolveram 4 milhões de pessoas, além de mais de 1.500 parcerias, 8.895 cursos e palestras e o estudo de mais de 8.000 espécies nativas.

 

Já o programa Desenvolvimento & Cidadania, criado em 2007, mantém cerca de 370 projetos patrocinados em todo o país e suas ações já beneficiam diretamente a 17 milhões de pessoas.

 

Segundo o diretor da Área Corporativa e de Serviços da Petrobras, José Eduardo Dutra, a estatal inseriu, em 2004, a responsabilidade social em seu plano estratégico como um dos pilares da nossa estratégica corporativa.

 

“Em 2007, a Petrobras aprovou a criação do plano do programa Petrobras Desenvolvimento & Cidadania, que teve investimento de R$ 1,2 bilhão entre 2007 e 2012. Nesse período, 18 milhões de pessoas foram beneficiadas por ações de responsabilidade social da Petrobras”, disse José Eduardo Dutra.

 

Em 2008, a Petrobras criou o programa Petrobras Ambiental, que prevê investimentos de R$ 500 milhões até o final de 2012, devendo alcançar 3,6 milhões de pessoas beneficiadas por suas ações, com impactos positivos nos seis biomas brasileiros.

 

“Ao longo desse período, nós aperfeiçoamos as nossas seleções públicas, que têm por objetivo garantir a transparência e democratização desse processo. O modelo de seleção dos projetos que serão contemplados é feito a partir de participação de pessoas externas da companhia como representantes da sociedade civil”, acrescentou José Eduardo Dutra.

 

As inscrições podem ser feitas até 18 de novembro no site da Petrobras (www.petrobras.com.br), e a divulgação dos projetos selecionados está prevista para o 1º trimestre de 2013.

Foto Luiz Morier

Anúncios