SECRETARIA DO AMBIENTE RETIRA QUASE MIL PORCOS EM BANGU

Foto: Luiz Morier

Ascom SEA
Por Sandra Hoffmann

 

 

Suínos foram recolhidos de chiqueiro clandestino que funcionava em área de amortecimento da APA de Gericionó-Mendanha

 Cerca de mil porcos foram retirados de um chiqueiro clandestino que funcionava em terreno de amortecimento da Área de Proteção Ambiental (APA) de Gericinó-Mendanha, em Bangu, na Zona Oeste do Rio, em ação de fiscalização da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da Secretaria de Estado do Ambiente, que começou há 15 dias e terminou hoje (23/10). Criados no entorno da APA, o que é ilegal, os suínos estavam causando transtornos à vizinhança – inclusive a uma penitenciária – e contaminando o solo da região e um afluente do Rio Sarapuí.

Segundo o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, o chiqueiro não tinha sistema adequado para coletar os dejetos desses animais, que acabavam sendo carregados – pela chuva ou pela lavagem dos animais ou do local – para o Rio Sardinha, afluente do Rio Sarapuí. “Trata-se de uma carga orgânica muito elevada, e isso é poluição hídrica. Estamos, inclusive, no Parque Estadual da Pedra Branca, reflorestando as nascentes do Rio Sarapuí, e não podemos permitir que seja poluído pelos dejetos de quase mil suínos.”

Apoiada por policiais do Comando de Polícia Ambiental (CPAm), a ação de fiscalização fora solicitada pelo secretário estadual de Administração Penitenciária, Cesar Rubens Monteiro de Carvalho, que reclamava que os dejetos e o mau cheiro dos animais estavam atraindo vetores que provocam doenças, como ratos, para uma penitenciária da região.

O chefe da Cicca, José Maurício Padrone, disse que o proprietário do chiqueiro, Delson Paes Sardinha, foi então notificado há 15 dias para retirar os porcos. Diante da ação fiscalizatória, ele acabou retirando boa parte dos porcos, mas insistiu em manter no chiqueiro ilegal cerca de 150 porcos. Diante de sua recusa em retirar a totalidade dos porcos, os agentes da Cicca decidiram agir.

“O proprietário retirou alguns, vendeu outros, e hoje estamos encerrando definitivamente este criadouro. A ação ambiental de hoje foi bastante positiva porque, antigamente, o Estado não tinha condições de retirar esses animais de áreas protegidas, algo que agora estamos fazendo com frequência. Além disso, os proprietários de chiqueiros estão obedecendo às notificações que estamos emitindo. Já detectamos hoje outros criadouros de suínos, que serão devidamente notificados de que esta não é uma área apropriada para este tipo de atividade”, explicou Padrone, acrescentando que os animais apreendidos foram encaminhados para um criadouro licenciado no Município de Seropédica.

Anúncios