Secretaria do Ambiente finaliza aulas sobre respeito à diversidade sexual

Foto: Lourenço Eduardo

Foto: Lourenço Eduardo

Ascom SEA

por Isabela Vasconcellos 

 

Curso Ambiente Saudável é Ambiente sem Homofobia tratou de temas ligados a questões de direitos humanos, cidadania e sexualidade nos locais de trabalho

 

A Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) finalizou, na quinta-feira (6/12), o Curso Ambiente Saudável é Ambiente sem Homofobia, que, iniciado em setembro, teve o objetivo de sensibilizar os participantes em relação a temas ambientais articulados às questões de direitos humanos, cidadania, corpo, gênero e sexualidade.

 

Dividido em três módulos teóricos (Introdução às Questões Ambientais; Produto, Mercado, Comercialização e Sustentabilidade; e Corpo, Gênero e Sexualidade) e duas oficinas práticas (Customização de Roupas e Adereços; e Reaproveitamento e Reciclagem de Resíduos sólidos), o curso incluiu aulas de capacitação em técnicas de reaproveitamento de materiais recicláveis para participantes do movimento LGBT, usuários dos Centros de Referência da Cidadania LGBT, gestores públicos, estudantes e demais interessados.

 

Em oficinas práticas, os alunos puderam transformar o velho em novo – aprendendo que, em geral, lixo é matéria-prima fora do lugar. O curso estimulou ainda a reflexão de todos sobre necessidades de consumo reais ou inventadas e o conhecimento sobre o ciclo de vida dos materiais.

 

Parte do Programa Ambiente em Ação, da Superintendência de Educação Ambiental (SEAM), da SEA, o curso é oriundo do resultado de convênio entre o Instituto de Geografia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da SEAM/SEA.

 

A superintendente de Educação Ambiental e coordenadora do projeto, Lara Moutinho da Costa, entregou aos 22 formandos o certificado de conclusão do curso Ambiente Saudável é Ambiente sem Homofobia.

 

Segundo Lara, para combater a homofobia nos ambientes de trabalho é importante que todas as secretarias de governo assumam suas responsabilidades dentro do projeto, para institucionalizar práticas de respeito aos homossexuais.

 

“Queremos formar novas hegemonias e um público formador de opinião. No curso, os alunos puderam criar um espaço seguro suficiente em que cada um pôde falar com coragem seus sentimentos, pensamentos, colocando suas questões para seus próprios entendimentos.”

 

O evento ainda contou com a presença do superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e coordenador do projeto Rio Sem Homofobia, Cláudio Nascimento.

 

Nos próximos dois anos, mais quatro outros centros de Referência de Cidadania LGBT/CR (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais/Centro de Referência) receberão aulas do projeto: no Rio de Janeiro (no prédio da Central do Brasil), em Niterói, Caxias e Nova Friburgo.

 

Trabalho desenvolvido pelos alunos do curso durante as oficinas de artesanato com materiais recicláveisFoto: Lourenço Eduardo

Trabalho desenvolvido pelos alunos do curso durante as oficinas de artesanato com materiais recicláveis
Foto: Lourenço Eduardo

Anúncios