SENA LIMPA RECUPERA QUALIDADE AMBIENTAL DA PRAIA DO LEBLON ATÉ 2014

Foto: Lourenço Eduardo

Foto: Lourenço Eduardo

Ascom SEA

por Flor Jacq

Secretaria do Ambiente informa moradores sobre andamento das obras na orla do bairro orçadas em R$ 10 milhões

O Governo do Estado vai investir R$ 10 milhões em obras de saneamento para recuperar a qualidade ambiental da praia do Leblon, na Zona Sul do Rio. A iniciativa faz parte do Projeto Sena Limpa, executado em parceria com a Prefeitura do Rio, que tem como meta despoluir seis das principais praias da orla da cidade até 2014.

O anúncio foi feito na noite de terça-feira (11/12) pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, em reunião pública com as associações de moradores e comercial do Leblon.

Minc informou ainda que, em diferentes etapas, vêm sendo executadas obras para revitalização das praias de São Conrado, Leblon, Ipanema, Leme e Urca, na Zona Sul, e da Bica, na Ilha do Governador, que fica na Baía de Guanabara.

Ao todo, com o Sena Limpa – uma alusão à promoção de uma cena limpa em seis importantes praias da Cidade do Rio de Janeiro –, estão sendo investidos R$ 150 milhões, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental e Desenvolvimento Urbano (Fecam). O projeto é um trabalho conjunto da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Cedae, Rio Águas e Comlurb, dentre outros órgãos públicos.

Assim como já ocorreu nos bairros da Urca e São Conrado, em reuniões promovidas pela SEA para dar detalhes e debater o Sena Limpa, as observações dos moradores do Leblon poderão ser absorvidas ao projeto. Na Urca, por exemplo, o percurso do sistema de esgoto da Cedae foi alterado para que pudesse ser construída uma área de lazer.

Na reunião de ontem, a presidente da Associação de Moradores do Leblon, Evelyn Rosenzweig, pediu ao secretário Carlos Minc uma atenção especial para a Rua Dias Ferreira:

“Essa é uma das principais vias do nosso bairro, reúne muito estabelecimentos comercias. É preciso ficar atento. Além de obras de saneamento, precisamos do apoio do Poder Público na fiscalização.”

Minc informou que estão previstas intervenções na Rua Dias Ferreira e que o cronograma de execução das obras no Leblon e nas outras cinco praias contempladas pelo Sena Limpa será disponibilizado no site da SEA para que os moradores possam acompanhar o andamento do programa:

“O governo sozinho não faz nada. Vocês têm que questionar, apontar, sugerir. O melhor fiscal é o povo consciente”, afirmou Minc.

Grupo de trabalho em cada bairro contemplado

O secretário Carlos Minc informou que foram criados grupos de trabalho, formados por técnicos do Estado e da Prefeitura, para cada um dos bairros alcançado pelo Sena Limpa. Os grupos se reúnem quinzenalmente para discutir o andamento das obras. Em alguns casos, os encontros ocorrem semanalmente.

“Quem diz que vai limpar todas as praias, não limpa nenhuma. Quem tenta fazer sozinho, acaba esbarrando em problemas que atrapalham o avanço das obras. É quando começa o jogo de empurra. Por isso, reunimos órgãos estaduais e municipais e organizamos tudo em conjunto: do diagnóstico ao planejamento das ações. Otimizando o trabalho, conseguiremos cumprir a meta de revitalizar as seis praias em, no máximo, dois anos”, disse o secretário.

A primeira etapa das intervenções no Leblon será a teleinspeção de galerias de águas pluviais do bairro – mecanismo pelo qual os técnicos conseguem detectar e corrigir ligações irregulares de esgoto.

Trata-se de etapa importante, porque essas galerias estão ligadas aos canais do Jardim de Alah e da Avenida Visconde de Albuquerque, que deságuam na praia. Assim, esse esgoto deixará de atingir diretamente as águas mais costeiras.

Está prevista ainda para o bairro a construção de uma rede coletora de esgoto para atender às comunidades Vila Laboriaux, Umuarama e Parque, na Rocinha, no Alto da Gávea, que despejam esgoto in natura no Rio Rainha. Essas águas poluídas acabam no canal da Av. Visconde de Albuquerque, dali contaminando a orla do Leblon.

Além disso, com o aumento da população na região, principalmente a da Rocinha, tornou-se necessária a ampliação do diâmetro de alguns trechos da rede de esgoto da Gávea e do Leblon. Instaladas nos anos 1940, 1950 e 1960, algumas tubulações estão subdimensionadas ou danificadas.

Para cumprir a meta de recuperar a qualidade ambiental da praia Leblon até 2014, três elevatórias de esgoto serão modernizadas (Saturnino de Brito, Jardim Botânico e Leblon).

Sem fazer falsas promessas, Minc afirmou que não existe praia limpa 100%: “Em dias de chuva, por exemplo, o mar quase sempre fica impróprio para banho. O que queremos é garantir a balneabilidade pelo menos 90% dos dias ano. Hoje, os moradores do Leblon e os visitantes só podem aproveitar a praia 60% desse tempo”.

Foto:Lourenço Eduardo

Foto:Lourenço Eduardo

Anúncios