BLITZ DA SECRETARIA DO AMBIENTE APREENDE ANIMAIS SILVESTRES E PRENDE VENDEDORES EM FEIRA DE CAXIAS

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

Ascom SEA

por Rodrigo Burgos

Dezenas de espécies foram resgatadas e nove pessoas detidas em operação que marcou o início de repressão permanente do CPAm a comércio ilegal na Baixada Fluminense

 Dezenas de animais silvestres – como pássaros canários, curiós e coleiros, além de jabutis e saguis – foram apreendidos e nove pessoas acabaram detidas em blitz  realizada neste domingo (27/01) em feira de venda ilegal de animais silvestres em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

A operação de hoje marcou o início de fiscalização permanente a ser realizada na feira por policiais do CPAm (Comando de Polícia Ambiental) para reprimir o tráfico de espécies da vida selvagem.

As nove pessoas detidas foram encaminhadas para a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), para responder por crime ambiental, e terão que pagar multa de R$ 500 por cada espécie aprendida.

A blitz foi uma ação conjunta de agentes da Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca; órgão da Secretaria de Estado do Ambiente), do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), do CPAm (Comando de Policia Ambiental) e da DPMA(Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente).

Para o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, é importante modificar a Lei de Crimes Ambientais para endurecer as penas dos traficantes de animais silvestres. “As penas têm que ser mais duras. Hoje, a pena de um traficante de animais silvestres é igual à pena de uma vovó detida com dois canários na gaiola. Se não endurecermos a legislação, a repressão a esse tipo de crime continuará sendo como enxugar gelo. Você prende o traficante e, no dia seguinte, ele está na rua de novo, praticando o mesmo tipo de crime.”

Proposta de Minc para endurecer as penas dos traficantes de animais silvestres foi incorporada ao anteprojeto de novo Código Penal que está em tramitação, desde 2012, no Senado.

Mas enquanto não é aprovada uma legislação mais dura para esse tipo de crime, policiais militares do CPAm farão operação rotineira de combate a uma das mais antigas feiras do Rio de Janeiro de venda ilegal de animais silvestres.

O comandante do CPAm, coronel Eduardo Frederico, destacou a importância e a força de ação conjunta contra a realização da feira de Caxias. “A operação serviu para marcar a atuação em conjunto dos órgãos e a fiscalização permanente na feira. Ficaremos em cima,reprimindo ao máximo o tráfico de animais silvestres.”

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

 

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

 

Anúncios