Blitz interdita quatro areais clandestinos em Seropédica

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

Ascom SEA

por Sandra Hoffmann

Em megaoperação da Secretaria do Ambiente, foram detidas dez pessoas por crime ambiental, demolidos silos e apreendidos equipamentos e veículos

Quatro areais interditados e outros três notificados, dez pessoas detidas, dois silos para armazenamento de areia extraída demolidos, uma balsa, quatro tratores e dois caminhões apreendidos. Este foi o saldo da blitz deflagrada hoje (21/02) pela Coordenadoria Integrada de Combate aos Crimes Ambientais (Cicca), da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), no Município de Seropédica, na Região Metropolitana do Rio, para reprimir a extração ilegal de areia.

Na megaoperação – que mobilizou 54 pessoas, entre policiais do Comando de Polícia Ambiental (CPAm) e da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) e fiscais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) – foram inspecionados 17 areais nas localidades Piranema, Reta dos 400 e Reta dos 500, em Seropédica. Destes areais investigados, quatro (Areal Piranema, Areal Estrela d’Alva e Areal Pedra do Ouro LTDA e outro ainda sem identificação) foram interditados por operar sem licença ambiental ou com licença vencida.

O proprietário do Areal Pedra do Ouro será multado em até R$ 10 milhões por operar com licença ambiental vencida desde 2008, dentre outras irregularidades encontradas. As dez pessoas detidas foram conduzidas para prestar esclarecimentos na DPMA, e responderão por crime ambiental.

Ao acompanhar a demolição do silo do areal Pedra do Ouro, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, ressaltou que a SEA e o Inea vêm realizando várias operações na região para reprimir a extração ilegal de areia. “Mas, eles acabavam voltando. Então, desta vez, decidimos demolir os silos, que são um tipo de construção feito pelo proprietário para armazenar a areia extraída, e estamos organizando um plano para criar o Distrito Areal Sustentável. O objetivo é avançar na legalização dos areais, e o que for ilegal, nós vamos demolir silos, multar e interditar o areal. No caso do silo deste areal Pedra do Ouro, que estamos demolindo, além da multa, o proprietário será obrigado a recuperar toda a área que degradou para extrair.”

Minc disse ainda que está em estudo um plano de recuperação da área para, posteriormente, ser transformada em área de lazer e também para a exploração de piscicultura. “Para sua viabilização, podemos utilizar os recursos das multas aplicadas”, afirmou.

O chefe da Cicca, coronel Padrone, disse que a fiscalização nos areais de Seropédica é complexa porque há vários pontos de extração de areia. “É complexo o ordenamento da área porque ela foi parcelada em fragmentos muito pequenos, em módulos de dez hectares. Mas, mesmo assim, as fiscalizações serão intensificadas, e os areais que não estiverem em conformidade com a legislação ambiental serão interditados. Sabemos que a areia é essencial para a construção civil, mas sua extração tem que ser feita de maneira sustentável”, disse Padrone.

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

Foto:Luiz Morier

Anúncios