SECRETARIA DO AMBIENTE PROMOVE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA LAGOA RODRIGO DE FREITAS

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

 

 

Ascom SEA
por Julia de Aquino

Alunos de escolas públicas fazem testes de qualidade da água e inauguram site para trocar experiências de preservação desse precioso recurso natural

 O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, participaram hoje (21/3) de atividade de educação ambiental com alunos de escolas municipais de Resende e Porto Real em que foram feitas análises da qualidade da água da Lagoa Rodrigo de Feitas, na Zona Sul.

 

 Durante a atividade promovida às margens da lagoa, no Espaço Encontro das Águas – parte da agenda de comemorações do Dia Mundial da Água, da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e do Inea –, foi lançado o site do Programa Agenda Água na Escola, da SEA.

 

 

 Acompanhados por técnicos da SEA e do Inea, os alunos, que participam do Programa Agenda Água na Escola, realizaram testes em amostras de água para detectar os níveis de PH, ferro, fosfato e amônia – parâmetros ambientais normalmente utilizados para identificar a qualidade da água.

 

  Os testes realizados indicaram que a Lagoa Rodrigo de Freitas está dentro dos parâmetros de normalidade. Divulgados após as medições, os resultados das análises foram os primeiros a ser inseridos na plataforma de dados do site do programa, cujo endereço eletrônico é http://agendaaguanaescola.eco.br.

 

  Segundo o secretário do Ambiente, Carlos Minc, a atividade realizada é mais eficiente, do ponto de vista educacional, e permite que o aluno saia de dentro da sala de aula e veja, na prática, como funcionam esses testes. “Participando da coleta e da análise da água, o aluno não precisa ficar decorando as aulas, ele aprende fazendo”, disse.

 

  O secretário disse ainda que antes dos trabalhos realizados pelo Governo do Estado para despoluir a Lagoa Rodrigo de Freitas, eram detectados, em análises realizadas, cerca 7 mil coliformes fecais, mas que esse índice de poluição por esgoto melhorou após as obras. “Foi construída uma galeria de cintura no entorno, para a coleta de esgoto, e consertamos as oito elevatórias da lagoa que estavam velhas. Antes eram despejados cerca de 7 mil coliformes fecais na Lagoa Rodrigo de Freitas, hoje esse número diminuiu para 800 coliformes fecais”, disse Minc.

 

  Durante a coleta, o aluno Breno da Silva Amaral, que é deficiente visual, participou da atividade inserindo uma sonda dentro da água da lagoa – um método mais preciso para medir parâmetros ambientais como oxigênio, PH e ferro. O teste demonstrou que a quantidade de oxigênio na água ainda estava abaixo do esperado, tendo sido detectado 2,3ml/l (o ideal é acima de 5,0ml/l). Minc acrescentou que esse fato é decorrente da mortandade de peixes que aconteceu na semana passada.

 

  “Após as chuvas, todo material orgânico que está na rua vem para a Lagoa Rodrigo de Freitas. Com a pouca troca entre a água do mar e a da lagoa, ocorre então a diminuição do oxigênio. Com isso, os peixes morrem. É preciso abrir o Canal do Jardim de Alah para melhorar a oxigenação da lagoa”, afirmou.

 

  Breno da Silva Amaral aprovou a iniciativa, afirmando que ações como essa podem ajudar a despoluir muitos rios do estado. “Quero ajudar a despoluir o Rio Paraíba do Sul. Fazendo esses testes, podemos contribuir para despoluir muitos outros rios”, disse o estudante da escola municipal Noel de Carvalho, da cidade de Resende, na Região do Médio Paraíba.

 

  O site do Programa Agenda Água na Escola foi idealizado para funcionar como uma plataforma simples para que estudantes insiram os dados da análise de águas coletadas durante expedições de monitoramento dos rios adotados por suas escolas. Os alunos poderão ainda, através do site, trocar experiências entre escolas de todo o estado.

 

  Iniciado em 2008, o Programa Agenda Água na Escola já atingiu 15 municípios. Ao oferecer a estudantes das redes públicas de ensino cursos e oficinas sobre qualidade da água e conservação da faixa marginal de proteção dos rios, o programa forma os chamados Jovens Gestores Ambientais das Águas e Florestas.

 

  Esse programa de educação ambiental incentiva ainda a adoção de trechos de rios pelas escolas, e estimula a participação dos alunos nos comitês de bacias hidrográficas.

 

  A coordenadora do Programa Agenda Água nas Escolas, Fátima Casarin, disse o site lançado hoje é uma forma moderna de mostrar para os jovens como cuidar do ambiente. “Eu cuido da água todo dia, e com esse programa, simples e dinâmico, poderemos ajudar os alunos a cuidar do ambiente e a trocar experiências com outros municípios”, disse Fátima.

 

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

Anúncios