ICMBio, SOS Mata Atlântica e Inea assinam acordo em prol do Parque Nacional de Tijuca

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

 Ascom SEA

Sandra Hoffmann

 

Secretaria do Ambiente disponibiliza recursos para implantação do Mosaico Carioca de Áreas Protegidas

 

Ao participar hoje (22/03) da cerimônia de assinatura de termo de cooperação para o fortalecimento e a sustentabilidade do Parque Nacional da Tijuca, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse que serão disponibilizados recursos de R$ 800 mil – já aprovados pela Câmara de Compensação Ambiental – para a implantação do Mosaico Carioca de Áreas Protegidas.

 

Reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente pela portaria nº 245, publicada em julho de 2011, o Mosaico Carioca de Áreas Protegidas abrange todas as unidades de conservação ambiental municipais, estadual e federal inseridas no Município do Rio de Janeiro.

 

Realizada no Parque Lage, na Zona Sul do Rio, a solenidade contou com a presença da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e do prefeito do Rio, Eduardo Paez. O termo de cooperação foi assinado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Fundação SOS Mata Atlântica, em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

 

A parceria inclui a criação do Fundo de Financiamento do Parque Nacional da Tijuca que já conta com patrocínio do Bradesco Cartões, no valor de R$ 200 mil. A verba será utilizada para a elaboração de estudos de planejamento para a criação desse fundo financeiro e de avaliação do potencial de captação de recursos por meio de adoção de áreas.

 

O chefe do Parque Nacional da Tijuca, Ernesto Viveiros de Castro, destacou que a novidade dessa iniciativa é adoção de algumas áreas da unidade de conservação:

“Esses parceiros aplicariam recursos nesse fundo, que será destinado à manutenção e à conservação do parque para ações de manejo e recuperação de áreas, dentre outras ações. A Tijuca é hoje a unidade de conservação de maior visibilidade do sistema federal. Nosso objetivo é ser uma vitrine que divulgue a importância dos parques nacionais para a conservação e seu potencial turístico. Para isso, precisamos buscar novas alternativas que garantam a sustentabilidade do parque”, explicou ele.

 

A parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica é estratégica, pois a ONG possui grande experiência no apoio à gestão de outras UCs da Mata Atlântica e marinhas, assim como na estruturação de fundos financeiros que permitem a perpetuidade de áreas ricas em biodiversidade e importantes para a conservação.

 

GESTÃO COMPARTILHADA

 

O secretário Carlos Minc destacou que a gestão compartilhada do Parque Nacional da Tijuca é uma experiência bem-sucedida de união de esforços para a gestão de uma unidade de conservação.

 

“É muito bom quando as três esferas de governos se unem para proteger os ecossistemas. Além de apoiar financeiramente a implantação do Mosaico Carioca de Áreas Protegidas, vamos apoiar as outras duas esferas governamentais em ações de educação ambiental”, destacou Minc.

 

A ministra Izabella Teixeira disse que a assinatura do termo de cooperação para o fortalecimento e a sustentabilidade do Parque Nacional da Tijuca é mais um passo para consolidar esse modelo de gestão compartilhada.

 

“As discussões aqui apresentadas mostram que o modelo de gestão requer articulação de todas as instâncias do poder público para que possa responder e oferecer resultados. Muitos dos processos adotados de regularização fundiária, de limpeza e de segurança dependem de ações articuladas entre as três esferas de governo. Fiquei absolutamente satisfeita pela retomada de ações estratégicas de planejamento de curto e médio prazo aqui apresentadas”, disse a ministra.

 

O prefeito Eduardo Paes propôs dois novos acessos rodoviários para o Corcovado: um, saindo do Parque da Catacumba, na Lagoa, e o outro, do bairro do Cosme Velho em direção ao monumento do Cristo Redentor.

 

“Vamos autorizar, em caráter experimental, que o consórcio Paineiras/Corcovado, que já faz o trajeto rodoviário Paineiras–Cristo Redentor, opere essas duas novas linhas. O objetivo é melhorar o acesso rodoviário da parte baixa da cidade até esse ponto turístico”, afirmou Paes.

 

Com área de 3.972 hectares, o Parque Nacional da Tijuca possui diversos atrativos turísticos relevantes da cidade do Rio de Janeiro, como a Pedra da Gávea, a Vista Chinesa, o Parque Lage, o Morro do Corcovado (com o Monumento ao Cristo Redentor), a rampa de saltos da Pedra Bonita e a Floresta da Tijuca.

 

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 

Anúncios