Estudantes analisam qualidade da água da Lagoa Rodrigo de Freitas

Steven McCane

Secretaria do Ambiente promove educação ambiental ao ar livre com alunos de escolas municipais do interior fluminense

Foto Luiz Morier

Foto Luiz Morier

No Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), a Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) e o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) promoveram uma aula de educação ambiental ao ar livre com cerca de 80 alunos de escolas municipais de Barra Mansa, Petrópolis e Teresópolis, que coletaram e analisaram amostras da água da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio.

Realizada no Espaço Encontro das Águas, do Inea, a atividade de educação ambiental incluiu visita à mostra Rio, Mar de Golfinhos, oficinas de reciclagem e uma peça de teatro sobre meio ambiente, interpretada pelos próprios alunos.

O secretário estadual, Carlos Minc, participou da atividade e enfatizou a importância dos jovens para disseminar a consciência ambiental para familiares e conhecidos.

“Escolas de vários municípios realizam o teste das águas em seus próprios rios. Dessa maneira, encontramos uma didática ambiental mais interessante do que a decoreba do quadro negro. Essas idas para o terreno, o contato com os técnicos, a medição da qualidade da água abrem os horizontes, oferece uma qualidade mais densa e profunda da atividade ambiental”, explicou o secretário.

O encontro faz parte de uma das ações do Programa Água da Escola, que busca fortalecer a Política de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro com o apoio de entidades ambientalistas, prefeituras e usuários de água.

Com a ajuda de kits de análise de água, os alunos realizam o monitoramento dos rios de sua região, como o Paraíba do Sul e o Bananal, em Barra Mansa, e podem  conferir os dados com as análise oficias do site do Inea. Acompanhados por técnicos do Inea, os alunos, que participam do Programa Agenda Água na Escola, realizaram testes em amostras de água para detectar os níveis de PH, ferro, fosfato e amônia – parâmetros ambientais normalmente utilizados para identificar a qualidade da água.

Os testes realizados junto à colônia de pescadores da região indicaram que a Lagoa Rodrigo de Freitas está dentro dos parâmetros de normalidade, com níveis excelentes de oxigênio de nove ml/l (o nível mínimo para garantia de vida marinha é de quatro ml/l). Divulgados após as medições, os resultados das análises serão inseridos na plataforma de dados do site do programa, cujo endereço eletrônico é http://agendaaguanaescola.eco.br.

Segundo o técnico ambiental André Leone, o trabalho de monitoramento realizado pelo Inea é fundamental para detectar os pontos críticos de rios e lagoas e assim traçar estratégias para definir ações que possam melhorar a qualidade da água.

“Uma das soluções para melhorar a qualidade da água é expandir a infraestrutura sanitária, trabalho que vem sendo realizado em ação conjunta da SEA, Inea e a Cedae, com o programa Sena Limpa. O trabalho de monitoramento permite identificar os pontos críticos, como no caso do Rio Queimados, afluente do Rio Guandu, em que estamos verificando os motivos do impacto e estudamos como solução uma possível transposição”, disse Leone.

Em cada região hidrográfica, existe uma ONG ou instituição de ensino que coordena o programa Agenda Água na Escola. Segunda a coordenadora geral do programa, Fátima Casarin, seis municípios do entorno da Baía de Guanabara estão em processo de licitação para receber as atividades de educação ambiental.

Foto Luiz Morier

Foto Luiz Morier

Anúncios