Secretário do Ambiente resalta importância da captação do metano produzido em Gramacho

Flor Jacq

Projeto da Prefeitura do Rio de abastecer Reduc com poderoso gás-estufa é elogiado por Carlos Minc

Inauguração do Projeto Gás Verde Produzido no Aterro de Gramacho 01  094

Foto Luiz Morier

Ao participar nesta sexta-feira (07/06) da inauguração do projeto de fornecimento de gás metano produzido no extinto aterro controlado de Gramacho para a Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobras, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, lembrou que o metano é um gás-estufa 24 vezes mais forte do que o gás carbônico (CO2) e falou com satisfação do resultado do processo de desativação de Gramacho e das negociações para solucionar a questão dos catadores que trabalhavam há 20 anos no local.

“O metano é um dos gases de efeito estufa, responsáveis pela febre planetária. Nossa meta é erradicar todos os lixões até 2014 e construir aterros sanitários ou em centrais de tratamento de resíduos (CTRs) que, assim como este, terão plantas de aproveitamento energético, como determina a Lei Nacional de Resíduos Sólidos”, disse Minc, destacando que a Baía de Guanabara deixou de receber quantidade equivalente a um Maracanã de chorume com o fim dos lixões no seu entorno.

A iniciativa de fornecimento de gás produzido em Gramacho para a Reduc é fruto da parceria Prefeitura do Rio com a empresa Novo Gramacho. É a primeira vez no mundo que uma refinaria vai funcionar com gás renovável, gerado a partir da decomposição de matéria orgânica.

Ou seja, do lixo que ficou acumulado e sem tratamento durante duas décadas em Gramacho, em Caxias, na Baixada Fluminense. Estima-se que sejam produzidos 70 milhões de m3 de biocombustível por ano, o equivalente ao consumo residencial e comercial anual do Rio de Janeiro.

O secretário do Ambiente lembrou ainda que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado, em 2011, entre a SEA, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Petrobras determinou que a empresa investisse R$ 1 bilhão na modernização da área operacional da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), bem como em ações de melhoria da qualidade ambiental da região – em especial do Município de Duque de Caxias.

“Por sugestão da Marilene Ramos, presidente do Inea, exigimos o ressarcimento de 18 milhões para as famílias de catadores de Gramacho, valor este antecipado pela Prefeitura do Rio, e determinamos que dos créditos de carbono oriundos da captação do metano, 18% fossem para a Prefeitura do Rio e 18%, para a Prefeitura de Duque de Caxias construir um bairro sustentável, onde até o ano passado só existia a barbárie”, afirmou.

Representando o prefeito Eduardo Paes, o secretário de Meio Ambiente do município do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Muniz, anunciou que, até 2016, 25% do lixo da cidade será separado. “Investimos em uma gestão sustentável. Avançamos na área dos transportes com o BRTs, os BRSs e a ampliação da malha ciclo viária. Agora, em parceria com a Collor, nosso foco é a coleta seletiva”, disse Muniz.

Minc falou ainda do decreto estadual de compensação energética, que estabelece que toda empresa que produz energia fóssil tem que investir um percentual em energia renovável. “Dessa forma, fechamos o ciclo, pois esta empresa pode se associar ao um aterro sanitário que, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, deve ter reaproveitamento energético”, explicou.

Segundo o presidente da empresa Gás Verde, responsável pela concepção e execução do projeto, Manuel Avelino, com a implantação do projeto, o aterro vai deixar de emitir, nos próximos 20 anos, aproximadamente seis milhões de toneladas de CO2 na atmosfera.

“O biogás é captado por 301 poços de coleta, transportado por tubulações com extensão de 1,100 metros, ao longo de camada profunda de solo. A usina é completamente automatizada e funcionará ininterruptamente durante todo ano”, disse.

Inauguração do Projeto Gás Verde Produzido no Aterro de Gramacho 03  158

Foto Luiz Morier

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s