Niterói recebe ajuda do Governo do Estado para tratar lixo urbano

Cidade irá receber R$ 20 por tonelada de lixo domiciliar que será conduzido para o aterro sanitário de São Gonçalo

Ascom SEA

Sandra Hoffmann

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

 O Município de Niterói vai receber R$ 3 milhões do Governo do Estado para tratar adequadamente seu lixo urbano em aterros sanitários. A cidade foi beneficiada pelo Programa Compra do Lixo Tratado, uma iniciativa da Secretaria de Estado do Ambiente de ajuda financeira temporária para que as cidades fechem seus lixões e passem a tratar seus resíduos urbanos em local ecologicamente correto.

Um convênio com esse objetivo foi assinado hoje (13/6) pelo vice-governador e coordenador de Infraestrutura do Governo doEstado, Luiz Fernando Pezão, pelo secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e pelo prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, em cerimônia no Parque da Cidade, no bairro de São Francisco, em Niterói.

Pelo convênio, Niterói irá receber, por um ano – prorrogável por mais um –, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam), R$ 20,00 por tonelada de lixo domiciliar que será conduzido para o Centro de Tratamento de Resíduos (CTR) Alcântara, em Anaia,distrito de São Gonçalo.

Em contrapartida, o município, que produz, em média, 500 toneladas de lixo por dia, terá de ampliar sua coleta seletiva. Com o convênio, a cidade terá outro benefício: economia no transporte do seu lixo, que deixará de ir para o aterro sanitário de Itaboraí, que é mais longe, seguindo para o aterro sanitário de São Gonçalo.

Na mesma cerimônia, o vice-governador e o secretário do Ambiente anunciaram três iniciativas de pacote ambiental para Niterói: a construção de trilha e centro cultural no Parque Estadual da Serra da Tiririca; a instalação de uma Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) no Parque da Tiririca; e o projeto de implantação da Reserva Extrativista Marinha de Itaipuaçu. O investimento é de R$ 400 mil, do Fundo da Mata Atlântica.

O vice-governador Luiz Fernando Pezão disse que a iniciativa é importante não só para Niterói, como para todo o Estado do Rio de Janeiro:

“Isso porque nós estamos acabando com todos os lixões no Estado do Rio e construindo aterros sanitários. E o mais importante é que todos os 92 municípios fluminenses estão envolvidos nessa questão. Então, essa parceria que está sendo feita é importante para Niterói, pois a cidade sofreu muito com tragédias como o deslizamento de terra que ocorreu no Morro do Bumba, em 2010”, disse Pezão, ao anunciar uma série de iniciativas em prol de Niterói, como a pavimentação de 200 ruas, a inauguração da Delegacia Legal de Itaipu, na Região Oceânica, e da Delegacia de Homicídios, no Barreto.

O secretário Carlos Minc ressaltou que Niterói é a sexta cidade a receber o Programa Compra do Lixo Tratado, que já beneficia os municípios de Mesquita, Nilópolis, São João de Meriti, Maricá, Volta Redonda. Agora, chegou a vez de Niterói, que produz, em média, 500 toneladas de lixo por dia.

“Em contrapartida, o município terá de ampliar a coleta seletiva domiciliar. Nós também estamos anunciando outras importantes iniciativas ambientais para esta região: a construção de uma trilha e de um centro cultural no Parque da Serra da Tiririca, a instalação de uma Unidade de Policiamento Ambiental (UPAm) no Parque da Tiririca, que será inaugurada no próximo dia 26 de junho, e projeto de implantação da Reserva Extrativista Marinha de Itaipuaçu. Os recursos foram aprovados pela Câmara de Compensação Ambiental”, disse Minc.

O secretário do Ambiente reiterou que o Governo do Estado está investindo na erradicação dos lixões e na construção de aterros sanitários no Rio de janeiro, e lembrou que já foram fechados todos os lixões do entorno da Baía de Guanabara.

“Com o fechamento dos lixões do entorno da Baía de Guanabara, tiramos um Maracanã do chorume que ia para a Baía de Guanabara por semana. Há cerca de seis anos, 90% do lixo do Estado do Rio ia para os lixões. Hoje, o cenário é bem diferente: 92% do lixo é descartado em aterros sanitários”, afirmou.

O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, disse que a parceria com o Governo do Estado tem sido importante para a cidade, principalmente na área ambiental. Segundo ele, ao assumir a administração municipal, o percentual da reciclagem de lixo em Niterói era de 1,5%, e hoje já é de 4,5%.

“Nós próximos quatro anos, queremos quintuplicar a reciclagem na cidade. O programa Bairro Novo, anunciado pelo vice-governador, de pavimentação e drenagem de ruas, vai contribuir para reduzir o assoreamento das lagoas. Isso porque hoje boa parte desse assoreamento é devido à ausência de drenagem em mais de 70% das ruas da Região Oceânica. Então, o Bairro Novo também contribui para a questão ambiental”, disse o prefeito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s