NOVO MOLHE RENOVARÁ ÁGUAS DA LAGOA DE SAQUAREMA

Obra do Governo do Estado vai melhorar balneabilidade, reprodução de peixes e navegabilidade na região

Ascom SEA

» Sandra Hoffmann

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

Uma importante obra para restabelecer a ligação do mar com a Lagoa de Saquarema – a construção, com reforço estrutural, de um novo molhe, com 150 metros de extensão, na saída da lagoa – foi iniciada hoje (26/9), pelo Governo do Estado, no Município de Saquarema, na Região dos Lagos.

 

Com previsão para ser concluída em 19 meses, a obra de fixação da chamada Barra Franca de Saquarema irá ampliar o volume de troca das águas do mar e da lagoa, permitindo a melhora da qualidade de suas águas.

 

Além de proporcionar a melhoria da balneabilidade e das condições para a reprodução de várias espécies de peixes, as intervenções também beneficiarão os pescadores, já que o curso d’água na região vai se tornar navegável para barcos de pequeno e médio porte.

 

O início das obras foi marcada por solenidade realizada na praça principal de Saquarema, com as presenças do governador Sérgio Cabral, do vice-governador e coordenador de Infraestrutura do Estado do Rio de Janeiro, Luiz Pezão, do secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, da presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, e da prefeita de Saquarema, Franciane Motta.

 

O governador Sérgio Cabral ressaltou que a construção do molhe permitirá a revitalização da Lagoa de Saquarema, melhorando as condições de balneabilidade e o retorno da navegabilidade, que hoje está impossibilitada. O governador disse ainda que os recursos para as obras são de R$ 52 milhões, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental (Fecam):

 

“Além dos ganhos ambientais, ganha também a economia da cidade, pois estão sendo investidos R$ 52 milhões, do Fundo Estadual de Conservação Ambiental. Os recursos do Fecam passaram a ser utilizados exclusivamente em ações ambientais na minha gestão. Então, com recursos do Fecam, nós investimos aqui na Região dos Lagos na recuperação da Lagoa de Araruama e do Canal do Itajuru”, disse Cabral.

 

CRIAÇÃO DE ZONA DE VIDA SILVESTRE

 

O secretário Carlos Minc destacou que, para a construção do novo molhe, há uma contrapartida ambiental do Município de Saquarema: a criação de uma Zona de Vida Silvestre com dez mil hectares, com a finalidade de proteger encostas e a biodiversidade da região.

 

“A criação do parque irá gerar cerca de um R$ 1 milhão, por ano, de ICMS Verde para Saquarema. Então, a construção do molhe é importante para a revitalização da Lagoa de Saquarema. Isso porque o mar tapa a lagoa com areia e a assoreia. Então, essa obra vai proteger a lagoa contra o assoreamento. Com isso, vai entrar mais água limpa, mais peixe e permitirá também a circulação de barcos de turismo e de pescadores”, afirmou Minc.

 

A presidente do Inea, Marilene Ramos, destacou que foi feito um novo projeto de construção de um molhe, cuidadosamente planejado, devido às condições do mar:

 

“Já houve uma tentativa anterior de construir esse molhe. Mas, com a força do mar, nós tratamos de fazer um novo projeto. Vamos usar, na parte mais externa do molhe, pedras com até 14 toneladas que serão trazidas por carretas. Trata-se de trabalho bem embasado para garantir não só a construção do molhe, mas que ele não seja destruído pela força do mar”, explicou Marilene Ramos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s