GOVERNO DO ESTADO INSTALA REDE COLETORA DE ESGOTO NA PRAIA DE SEPETIBA

Obras permitirão captar esgoto de 650 domicílios, beneficiando cerca de 3.250 habitantes e o lazer de milhares de banhistas

Ascom SEA

» Sandra Hoffmann

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

O Governo do Estado deu hoje (23/10) um passo importante para ampliar o volume tratado de esgoto na região do entorno da Praia de Sepetiba, na Zona Oeste do Rio, com o início das obras de construção de rede coletora de esgoto e de cinturão para coleta de águas pluviais. As obras deverão ser concluídas em 12 meses.

 

A cargo do Inea, as obras consistem na instalação de tronco coletor de oito quilômetros para a captação de esgoto de 650 domicílios, o que beneficiará a cerca de 3.250 habitantes, e de um quilômetro de cinturão para a coleta de águas pluviais. Os volumes totais serão destinados à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da região, construída pela Prefeitura do Rio.

 

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, a presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), Marilene Ramos, e o vice-prefeito do Rio, Adilson Pires, participaram de cerimônia, realizada na Praça do Coreto, que marcou o início das obras, que contam com investimentos de R$ 9,5 milhões e irão gerar cerca de 250 empregos diretos e indiretos.

 

Minc disse que o próximo passo será a construção de um cais de aproximadamente 60 metros na Praia de Sepetiba, em frente à Ilha do Tatu, uma reivindicação dos pescadores:

 

“Para essa obra, nós já obtivemos autorização da Secretaria de Patrimônio da União (SPU). Agora, estamos na fase de aprovar recursos e começar a fazer essa obra. É importante destacar que a construção do tronco coletor e do cinturão irá garantir a eliminação das línguas contaminadas por esgoto que chegam à praia. No meio disso tudo, avança o saneamento da Zona Oeste, que é uma Parceria Público Privada do Município do Rio, Cedae e da empresa Odebrecht que, em oito anos, vai despoluir a Praia de Sepetiba. Enquanto isso não acontece, fizemos uma parceria com a Prefeitura do Rio para instalar chuveiros para as pessoas. A prefeitura também vai aparar a vegetação que está crescendo no areal da praia”, disse o secretário.

 

Minc lembrou que os recursos de R$ 9,5 milhões, a serem investidos nessas obras, são oriundos de uma condenação judicial da Companhia Docas devido a impactos ambientais causados por obras de dragagem no Porto de Itaguaí.

 

O secretário também destacou a conclusão das obras de reconstituição da orla da Praia de Sepetiba, executadas pelo Governo do Estado e entregues à população em 2012:

 

“Estive aqui em um domingo e pude observar muitas pessoas desfrutando do seu momento de lazer na areia. Então, essa obra foi importante para favorecer o lazer da população”, destacou Minc.

 

A presidente do Inea, Marilene Ramos, disse que o Inea fará o tratamento do Canal Ari Chagas e que os técnicos do instituto irão procurar os moradores para formar um cadastro com o objetivo de fazer a conexão da rede de esgoto interna das casas com a rede que será construída. Ela também pediu ao vice-prefeito do Rio, Adilson Pires, a retomada do projeto de urbanização da Praia de Sepetiba.

 

“Isso acontece muito em projetos de saneamento em que a rede de esgoto passa na rua e as casas não têm condições de se conectar à rede, e assim, continuam despejando esgoto na rede de água pluvial. Então, vamos fazer esse cadastramento para evitar que isso aconteça. Quanto ao projeto de urbanização da praia, gostaríamos de retomar essa questão com o apoio da Prefeitura do Rio para que a orla tenha, por exemplo, áreas de lazer”, afirmou Marilene Ramos.

 

O vice-prefeito do Rio, Adilson Pires, destacou a importância dessas intervenções para os moradores e frequentadores da Praia de Sepetiba, e destacou que a Prefeitura do Rio já realizou obras importantes na região:

 

“Sepetiba já foi o retrato do abandono. A Prefeitura do Rio já realizou obras importantes aqui, mas ainda há muito a ser feito. Estou me comprometendo a me reunir com o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, para discutir a questão da urbanização”, disse.

 

Em 2009, a Prefeitura do Rio de Janeiro iniciou projeto de saneamento da região de Sepetiba, com investimentos do Governo Federal e da Caixa Econômica Federal. Além de rede de esgoto, as intervenções do Projeto Saneando Sepetiba incluem pavimentação, urbanização e construção de duas estações de tratamento de esgoto (ETE); uma em Sepetiba e outra em Pedra de Guaratiba.

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s