Secretaria do Ambiente encerra defeso da Lagoa de Araruama

Numa ação inédita, cinco prefeituras da Região dos Lagos se uniram no combate à pesca predatória

Ascom SEA

Rodrigo Burgos

Foto: Luiz Morier

Foto: Luiz Morier

Em uma união inédita de esforços de cinco prefeituras da Região dos Lagos – Araruama, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia –, foi encerrado oficialmente hoje (1/10) o período de defeso que vigorou na Lagoa de Araruama por 90 dias, de 1º. de agosto a 31 de outubro, para favorecer a reprodução e o crescimento de inúmeras espécies de peixes e frutos do mar.

 

 

O defeso da Lagoa de Araruama foi um sucesso. Antes do período de defeso, a oferta na região era de cerca de 50 toneladas de pescado por mês. Estima-se que só em novembro a oferta de peixes será de cem a 150 toneladas.

 

 

Durante o defeso, cerca de quatro quilômetros de redes de pesca foram apreendidos, mas nenhum pescador foi notificado ou multado. Aproximadamente 80% das apreensões ocorreram entre São Pedro da Aldeia e Cabo Frio.

 

 

Cerca de 40 pescadores atuaram como sentinelas da lagoa, fazendo a retirada de estacas que estavam fincadas na laguna. Esse material atrapalhava a circulação de peixes e colocavam em risco a segurança da navegação.

 

 

Esse efetivo também deu apoio à obra de construção de novos paióis na vila dos pescadores em Camerum (região onde há grande desembarque de camarões), no bairro Porto da Aldeia, em São Pedro da Aldeia, e também na limpeza das praias, em um trecho de aproximadamente oito quilômetros.

 

 

Presente à cerimônia de encerramento oficial do período de defeso, o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, disse que o sucesso da iniciativa ambiental é de suma importância para o meio ambiente e para as comunidades locais.

 

 

“Queremos estimular uma atitude que é boa para o meio ambiente. Os peixes têm um ciclo que precisa ser respeitado. Foi formada aqui uma grande união de esforços de pescadores e de autoridades locais visando a proteger a ecologia e o emprego verde. Conseguimos reunir uma grande biodiversidade humana em prol da consciência ecológica e do desenvolvimento sustentável da Região dos Lagos”, festejou Minc.

 

 

Segundo o coordenador da Câmara Técnica de Pesca da Bacia do Lago São João, Francisco da Rocha Guimarães, mais conhecido como Chico Pescador, o sucesso do defeso representa uma melhor qualidade de vida para a população local:

 

 

“O sucesso do defeso representa mais dinheiro no bolso da comunidade, gerando um melhor padrão de vida, com o meio ambiente mais resguardado. Queremos ter sempre o nosso pescado. Quando não temos o pescado, a qualidade de vida na região diminui. Com todas as ações realizas em favor do período de defeso, e o enorme sucesso que foi, garantimos uma melhora ecológica da região e um melhor sustento de nossas famílias”, afirmou.

 

 

No período de defeso – que contou com ações diárias para combater a pesca ilegal –, cerca de 700 pescadores receberam auxílio-defeso, e outros 40, que não tiveram tempo hábil para requerer esse seguro, receberam cestas básicas e ajuda de custo de R$ 500 das Concessionárias Águas de Juturnaíba e ProLagos Serviços Públicos de Água e Esgoto.

 

 

A Secretaria de Estado do Ambiente (SEA) deu apoio às ações que garantiram o sucesso do defeso. Durante a solenidade de encerramento, foram homenageados guardas ambientais municipais e policiais militares da Unidade de Policiamento Ambiental Móvel que trabalharam nas ações de combate à pesca predatória.

 

 

Os prefeitos de Iguaba Grande, Ana Grasiella Moreira Figueiredo, e de São Pedro da Aldeia, Claudio Chumbinho, e o subsecretário do estadual do Ambiente, Luiz Firmino, também participaram da solenidade de encerramento do período de defesa.

 

 

MAIS SANEAMENTO NA REGIÃO DOS LAGOS 

 

 

Durante a cerimônia, Minc anunciou que será lançada, ainda em novembro, a licitação das obras de desassoreamento do Canal de Itajuru – que corta os municípios de São Pedro da Aldeia e Cabo Frio, ligando a Lagoa de Araruama ao Oceano Atlântico –, orçadas em R$ 2,4 milhões, além do sistema  de balizamento do canal, avaliado em R$ 1,2 milhão.

 

 

O secretário também revelou que na próxima segunda-feira (4/10) será votada, no Conselho Diretor do Instituto Estadual do Ambiente (Condir), a licença ambiental para o esgotamento sanitário de Praia Seca, última etapa restante para o início das obras de saneamento da região. As intervenções, que devem começar ainda em novembro, estão orçadas em R$ 8,5 milhões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s