Parque Estadual dos Três Picos ganha novos limites

Maior unidade de conservação do estado incorporou áreas densamente recobertas por Mata Atlântica

Ascom SEA

Foto: Gustavo Pedro

Foto: Gustavo Pedro

Maior unidade de conservação de proteção integral do Rio de Janeiro, com 65.113 hectares, o Parque Estadual dos Três Picos (PETP), na Região Serrana, teve os seus limites recentemente alterados em virtude da aprovação da Lei Estadual nº 6573/13, de autoria do Poder Executivo.

“O objetivo da proposta era excluir dos limites do parque áreas com ocupação consolidada anteriores a sua criação em 2002, como, por exemplo, parte do bairro de Teodoro de Oliveira, em Nova Friburgo, e o condomínio Caneca Fina, em Guapimirim, que haviam sido indevidamente incluídas na unidade, gerando insegurança para os moradores e um ônus financeiro desnecessário para o Estado, uma vez que tais áreas, por já estarem muito ocupadas, possuem escasso valor ambiental”, disse o diretor de Áreas Protegidas e Biodiversidade do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), André Ilha.

Em contrapartida, ressalta Ilha, foram adicionadas ao parque áreas cerca de cinco vezes maiores na região entre Nova Friburgo e Silva Jardim, e que se encontram densamente recobertas por Mata Atlântica e sem habitações humanas, aumentando não apenas o tamanho, mas também a qualidade ambiental do parque.

O mesmo projeto de lei incorporou ao Parque Estadual dos Três Picos a Estação Ecológica Estadual do Paraíso, em Guapimirim, com cerca de 4.900 hectares, unidade que lhe era contígua, como medida de racionalidade administrativa, uma vez que ambas já eram administradas em conjunto.

 

 

VISITAÇÃO RECREATIVA

 

Além disso, agora os atrativos naturais da antiga estação ecológica poderão receber alguma visitação recreativa, o que antes era vedado pela legislação.

O Parque Estadual dos Três Picos protege florestas e campos de altitude em cinco municípios da Região Serrana do estado – Cachoeiras de Macacu, Nova Friburgo, Teresópolis, Guapimirim e Silva Jardim – e ocupa uma posição estratégica no Corredor Central da Mata Atlântica fluminense.

No parque são encontradas inúmeras espécies raras e ameaçadas da fauna e flora nativas, e um conjunto de montanhas graníticas de grandes dimensões, como o grupo da Mulher de Pedra, em Teresópolis, as Torres de Bonsucesso, também em Teresópolis, e os Três Picos de Friburgo, que lhe emprestaram o nome e que, com cerca de 2.350 m de altitude, são o ponto culminante de toda a Serra do Mar.

O parque tem sua sede em Cachoeiras de Macacu, onde há um gigantesco exemplar de jequitibá-rosa, com cerca de 40 metros de altura, muito visitado por turistas e grupos escolares. Conta ainda com postos e subsedes em Guapimirim, Teresópolis e Lumiar, em Nova Friburgo.

A subsede Teresópolis, na localidade conhecida como Vale da Revolta, ganhará, em breve, uma grande estrutura de lazer e ecoturismo que inclui centro de visitantes, camping, restaurante, lanchonete, arvorismo, tirolesa e trilhas.

“Quando essa estrutura estiver implantada, deverá receber mais de 100 mil visitantes por ano, num investimento de R$ 12 milhões que muito contribuirá para o incremento do turismo nessa cidade serrana”, afirma o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s