Minc critica desmonte de projetos sociais em comunidades pacificadas

Secretaria do Ambiente havia decidido terminar EcoBuffet e Jardineiro Comunitário nos morros Tabajaras e Fogueteiro

 

Ecobuffet

Ecobuffet

Após protestar na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) contra o início de desmonte dos projetos EcoBuffet e Jardineiro Comunitário pela atual direção da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), o deputado Carlos Minc foi informado sobre um suposto recuo dessa decisão do secretário Carlos Portinho.

 

Além da crítica de Minc, um grupo de manifestantes também protestou ontem (7/5) contra o desmonte dos dois projetos em frente à sede da SEA, na Saúde, na Região Portuária do Rio. Em princípio, devido às duas ações de protesto, o atual secretário do Ambiente recuou da iniciativa. Mas ainda não há uma confirmação oficial.

 

“Antes assim. Seria muito triste que uma das melhores iniciativas da SEA, que complementa o trabalho das UPPs em comunidades pacificadas, fosse desmontada poucos meses depois de nossa saída da Secretaria do Ambiente. Os dois projetos são um complemento de ações socioambientais em comunidades do Rio, e tiveram o apoio do então governador Sérgio Cabral”, disse Minc.

 

Na manhã de ontem, funcionários, alunos e simpatizantes dos projetos EcoBuffet, na comunidade dos Tabajaras, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, e do Jardineiro Comunitário (também conhecido como Comunidades Verdes), na comunidade do Fogueteiro, na Zona Norte, protestaram em frente à SEA para denunciar o encerramento destes projetos pelo atual secretário do Ambiente, Carlos Portinho, sem qualquer justificativa.

projeto Jardineiro Comunitário, que funciona desde 2012 no Fogueteiro, já formou a primeira turma em técnicas de produção de mudas e manejo de viveiros, tendo encaminhado vários dos formando para o mercado de trabalho. Segundo seus organizadores, muitos estão atuando na comercialização de produtos e outros foram absorvidos por instituições, como o Jardim Botânico e Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, para atuar como jardineiros. O projeto entrou no início deste ano em sua segunda fase, e já havia selecionado a segunda turma para capacitação.

 

O projeto EcoBuffet foi iniciado no final de 2013 na comunidade do Tabajaras, e estava na metade da sua primeira capacitação. Repentinamente, para surpresas dos seus organizadores, assim como ocorreu com o Jardineiro Comunitário, eles foram notificados sobre o seu encerramento e transferência para outra comunidade já selecionada pelo atual secretário do Ambiente; sem que o motivo fosse revelado.

Os alunos do EcoBuffet são instruídos por nutricionistas e chefes de cozinha para reaproveitar partes normalmente descartadas de alimentos, como folhas e caules, para a produção de pratos diversificados. Já no Jardineiro Comunitário, os alunos aprendem a cultivar mudas de espécies arbóreas e promovem o replantio de áreas degradas na comunidade. Em ambos os projetos, há um componente de estimular o empreendedorismo dos alunos, para que possam abrir seus próprios negócios.

 

No ato de protesto, foram entregues aperitivos e mudas, produzidos por alunos e equipes dos projetos, aos funcionários da secretaria e passantes. Os manifestantes ameaçaram formalizar denúncia ao Ministério Público, por entender que o encerramento dos projetos caracterizaria má utilização dos recursos públicos, já que estão em plena fase de execução; impedindo que centenas de alunos concluam seu processo de capacitação e desperdiçando os recursos já investidos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s