Secretaria de Estado de Educação quer extinguir cursos profissionalizantes

Carlos Minc pediu ao MP que apure denúncia sobre extinção de aulas em 35 escolas públicas

minc

O presidente da Comissão Especial pelo Cumprimento das Leis da Alerj, deputado Carlos Minc, solicitou hoje (14/5) ao Ministério Público a abertura de inquérito civil para apurar denúncias de alunos e professores de que a Secretaria de Estado de Educação mandou suspender as inscrições para os cursos técnicos e profissionalizantes de 35 escolas públicas espalhadas pelo território fluminense.

Em função do exposto pelos denunciantes, Minc solicitou ao MP que seja ajuizada ação civil na Justiça, com pedido de liminar, para que sejam garantidas a continuidade das aulas e a eficácia dos créditos obtidos até o momento; sem prejuízo para os alunos que estão em formação.

Minc enviou também hoje mensagem para o governador Luiz Fernando Pezão, advertindo-o do problema, da injustiça e do desgaste que isso provocaria para o governo. “Pezão me respondeu que vai entrar em campo e agir”, disse Minc.

FIM DE CURSO DE TÉCNICO AMBIENTAL

A primeira denúncia chegou esta semana ao gabinete de Minc por parte de alunos e professores do Curso de Técnico em Meio Ambiente do Colégio Estadual Presidente Kennedy, no Município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense.

Segundo a denúncia, uma “ordem verbal” da secretaria de Educação proibiu a aceitação de inscrições para o curso do próximo semestre. Sem alunos, o curso seria então encerrado – o que prejudicaria inclusive os atuais alunos que ficarão em dependência.

Segundo outras denúncias que continuam a chegar ao gabinete do deputado Carlos Minc, a intenção da secretaria é interromper não só este curso em Belford Roxo, mas em todas as 35 escolas da rede pública estadual que oferecem cursos técnicos e profissionalizantes, em especial à noite.

Sem maiores explicações, uma circular da secretaria teria sido enviada às escolas informando que não poderiam ser aceitas inscrições para o próximo semestre.

“Conheço a qualidade e a seriedade do Curso de Tecnólogo em Meio Ambiente do colégio Presidente Kennedy. Quando fui secretário do Ambiente, tive a oportunidade de visitar a escola inúmeras vezes, tendo inclusive estimulado que vários alunos fossem estagiários na secretaria e no Instituto Estadual do Ambiente”, disse Minc.

Segundo Minc, como oficialmente ninguém na escola estadual em Belford Roxo foi comunicado das intenções da Secretaria de Estado de Educação em relação ao futuro do curso, há várias versões circulando, inclusive que o curso seria assumido pela Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (Faetec).

“O fato é que a indefinição e o desconhecimento a respeito do futuro estão fazendo com que professores busquem transferência e turmas fiquem sem algumas disciplinas. Ao mesmo tempo, alunos se perguntam como poderão cumprir dependências se houver a interrupção do curso”, afirmou Minc.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s