CPI: 854 armas desviadas de empresas de segurança

Dado preocupante foi apresentado na CPI das Armas da Alerj, que também apura roubo de armamentos nas polícias Militar e Civil

Relatório da Polícia Federal (PF) enviado hoje (22/10) ao presidente da CPI das Armas da Alerj, deputado Carlos Minc, revelou que, de 2011 a agosto de 2015, 854 armas foram roubadas, furtadas ou extraviadas de empresas privadas de segurança que atua​m​ no​ Estado do Rio de Janeiro.

Outro dado alarmante que chamou a atenção no relatório da PF – órgão que controla o armamento de posse das empresas privadas de segurança – foram os números de munições consumidas e desaparecidas apenas de janeiro a agosto de 2015: 163 consumidas; 2.747 roubadas, furtadas ou extraviadas.

Soma-se a esses números o desaparecimento de pelo menos 457 armas dos depósitos da Polícia Militar, segundo foi apurado por Inquérito Policial Militar (IPM) de 2013. Sem contar o que ainda não foi apurado pela CPI de 2013 para cá, na PM, e o eventual sumiço de armas da Polícia Civil – cujas informações ainda não foram enviadas para a CPI pela Chefia de Polícia Civil – e do Sistema Penitenciário – cujas informações também não foram ainda enviadas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

E mais: dos armamentos que desapareceram, e foram confirmados por relatório da própria Corregedoria da PM, enviado esta semana para a CPI das Armas, sumiram 2.500 projéteis de balas (de fuzis, escopetas, pistolas e revólveres) do depósito de companhia independente que funciona dentro do próprio Palácio Guanabara e 5.105 da Corregedora Interna, instalada no prédio do quartel-general da PM.

“Isso é muito preocupante, porque a maior parte dessas armas acaba nas mãos do tráfico de drogas e das milícias”, disse Minc, ao final de mais uma sessão da CPI das Armas promovida na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

A sessão de hoje foi realizada para que os deputados da CPI, como a vice-presidente da comissão, delegada Martha Rocha, ex-chefe da Polícia Civil, e o deputado Zaqueu Teixeira ouvissem o corregedor da PM, coronel Victor Souza Yunes.

A CPI das Armas foi instaurada, há três semanas, para apurar o sumiço de armas e munições, de 2005 a 2015, de unidades da Polícia Militar, Polícia Civil, Sistema Penitenciário e empresas privadas de segurança.

A maior parte das perguntas feitas ao coronel Yunes, como o número preciso de armas extraviadas de 2005 até agora, não foi respondida, sob a alegação de que as informações teriam que ser obtidas junto ao Estado Maior da Polícia Militar. Por isso, a CPI decidiu convocar, para a sessão da próxima semana, o coronel Lima Freire, chefe do Estado Maior Operacional.

Um problema, apontado pelo presidente da CPI das Armas, é que os números apresentados até agora pela PM são discrepantes. Segundo um IPM de 2013, que reuniu informações de outros IPMs instaurados anteriormente em diversas unidades da PM, houve até então 457 armas desviadas; sendo 72 fuzis e 155 pistolas. Mas, segundo o relatório que a própria Corregedoria da PM enviou para a CPI das Armas, houve desvios de cerca de 300 armas de 2005 a 2015.

“Alguma coisa não está batendo nesses números. Aparentemente, esses números do relatório da Corregedoria da Polícia Militar estão subestimados”, cobrou Minc. Foi quando o coronel Yunes respondeu que esses dados deviam ser fornecidos pelo Estado Maior da PM.

Outra informação que causou apreensão em Minc foi a de que, somente este ano, começou a funcionar, de forma parcial, sistema informatizado de controle das armas e munições que são usadas diariamente pelos PMs. “Não é razoável que esse controle ainda seja precário, feito, em sua maior parte, por fichas preenchidas manualmente”, criticou Minc.

cpiarmas_geral_ob_22_10_15

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s