Mandato

Deputado Estadual do Rio de Janeiro

Campeão de leis, Minc defende mais qualidade de vida e cidadania

Em seu oitavo mandato, o deputado estadual Carlos Minc pauta suas campanhas e ações legislativas na busca por mais qualidade de vida para a população. Minc é campeão de aprovação de leis na Alerj; somando quase 150. Defensor da ecologia e do socialismo libertário, Minc entende que a luta por qualidade de vida extrapola a importante bandeira das causas ambientais.

O mandato Carlos Minc procura, assim, articular vários grupos e campanhas, pela preservação ambiental, por uma política de segurança moderna e democrática, pela defesa dos direitos de cidadania das mulheres, negros e homossexuais, por mais verbas para a cultura, pela saúde da população e do trabalhador e por mais democracia nas escolas; entre outras iniciativas.

Após o início de uma bem sucedida gestão à frente da Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), em 2007 e 2008, Carlos Minc assumiu o Ministério do Meio Ambiente do governo Lula em maio de 2008, tendo também destacada atuação. De janeiro de 2011 a janeiro de 2014, voltou a ocupar o cargo de secretário do Ambiente.

Um dos orgulhos de Minc foi ter sido ministro de Meio Ambiente do Governo Lula. Minc foi responsável, entre outras iniciativas, por um feito histórico: derrubou o desmatamento da Amazônia para o menor nível da história e fez com que o Brasil passasse a contar com uma política e um fundo nacional de clima, com metas de redução das emissões de gases-estufa.

Em janeiro de 2011, já de volta ao Rio de Janeiro, assumiria pela segunda vez o cargo de secretário do Ambiente. No executivo estadual, Minc elaborou leis relevantes, apresentadas pelo governador e aprovadas pela Alerj, como a que criou o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a que instituiu o ICMS Verde, garantindo mais recursos às prefeituras que criam unidades de conservação e dão tratamento adequado para o lixo urbano, entre outras ações ambientais.

Muitas foram as vitórias – e algumas derrotas também – à frente da Secretaria do Ambiente. Mas uma crítica isenta sobre o período que Minc influenciou a política ambiental do Governo do Estado, de janeiro de 2007 a janeiro de 2014, há de reconhecer: ainda existem muitas carências ambientais, mas nunca se avançou tanto na história da gestão ambiental do Rio de Janeiro como nos últimos anos.

A título de exemplo, dois avanços incontestáveis de sua gestão: o Rio de Janeiro passou do estado brasileiro que mais desmatava para o que menos desmata a Mata Atlântica. No início de 2007, apenas 6% do lixo gerado em todos os 92 municípios fluminenses eram encaminhados para tratamento adequado. No início de 2014, 94% do lixo estava sendo encaminhado para tratamento em aterros sanitários.

De volta à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), em fevereiro de 2014, Minc vem reforçando novamente sua tradicional Campanha do Cumpra-se! – para que as leis sejam respeitadas nesse país.

Acompanhe aqui um pouco da história do mandato Carlos Minc, com suas diversas ações e leis para que as pessoas tenham mais qualidade de vida e vejam respeitados seus direitos sociais e de cidadania.

AMBIENTALISTA E ESCRITOR

Em 1989, Minc recebeu o Prêmio Global 500, concedido anualmente pela Organização das Nações Unidas (ONU) aos que se destacam mundialmente nas lutas em defesa pelo meio ambiente.

Carlos Minc é professor-adjunto licenciado do Departamento de Geografia da UFRJ, mestre em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Técnica de Lisboa (1978) e doutor em Economia do Desenvolvimento pela Universidade de Paris I – Sorbonne (1984).

Minc é também escritor, tendo publicado os livros Como Fazer Movimento Ecológico (Editora Vozes; 1985); A Reconquista da Terra (Editora Zahar; 1986); Ecologia e Políticano Brasil (Espaço e Tempo/Iuperj;1987); Despoluindo a Política (Editora Relume Dumará; 1994); e Ecologia e Cidadania (Editora Moderna, 1997). É coautor do livro Desafios do Século XXI (Editora Sextante), coordenado pelo jornalista André Trigueiro.

Anúncios